Receitas > Dicas > Cuidado com a garrafa de vinho

Cuidado com a garrafa de vinho


Avaliação: / Cuidado com a garrafa de vinho2 votos
PiorMelhor 
Por Maria Clara
  • Posição: deitadas ou de cabeça para baixo
  • Disposição: brancos e jovens abaixo; de guarda acima
  • Manutenção: rótulo, cápsula e rolha
  • Identificação: ficha de linhas (letras) e colunas (números)
  • Registro: ficha com nome, origem, safra, características degustativas (visuais, olfatórias e gustativas), data, local de compra e preço, local de degustação e companhia(s)
  • O tempo máximo de guarda de um vinho não deve ser o tempo máximo que ele suporta antes de se deteriorar (tempo de vida), mas sim o tempo em que ele ainda está na plenitude de suas características, de sua tipicidade. O ideal é tomá-lo no seu apogeu
  • Os tempos aqui mencionados são valores médios aproximados e podem variar dependendo das condições climáticas e do solo da safra, bem como das condições de guarda do vinho.
  • ATÉ 1 ANO:
  • Beaujolais nouveau ou primeur
  • (A rigor, esse vinho mantem a sua tipicidade, plena aroma e sabor frutados,até cerca de 6 mêses)
  • ATÉ 2 ANOS:
  • A maioria dos brancos e alguns tintos brasileiros
  • Beaujolais genéricos e vinhos verdes portugueses
  • ATÉ 3 ANOS:
  • Alguns tintos e brancos europeus (valpolicella, chianti comum, frascati, lambrusco, etc.)
  • A maioria dos tintos e alguns brancos brasileiros
  • Champanhas brasileiros
  • Rosados
  • ATÉ 4 ANOS:
  • A maioria dos brancos europeus
  • Os melhores tintos brasileiros
  • ATÉ 7 ANOS:
  • A maioria dos bons tintos europeus
  • Alguns dos melhores tintos brasileiros
  • Champagnes não datados
  • ATÉ 10 ANOS:
  • Champagnes millesimés (datados)
  • Alguns grandes brancos europeus (Auslese, Bourgogne, Alsace, Rioja, etc.)
  • ATÉ 15 ANOS:
  • Alguns grandes tintos europeus (Bordeaux, Bourgogne, Rioja e Douro, etc.)
  • ATÉ 25 ANOS:
  • Alguns grandes europeus tintos (Bordeaux, Bourgogne, Barolo, etc.) e brancos (Sauterne, Beerenauslese, Trockenbeerenaus lese, Tokay, etc.)
  • ATÉ 50 ANOS OU MAIS:
  • Vinhos fortificados (Porto, principalmente os "vintage", Madeira, Jerez, etc.) e as safras excepcionais dos grandes tintos e brancos europeus
  • Tão importante quanto escolher um bom vinho, é conservá-lo de forma adequada, a fim de que não se arruíne, ou envelheça precocemente.
  • Por isso devemos levar em consideração alguns pontos que são de fundamental importância para a correta conservação:
  •     *  Garrafas permanentemente deitadas: podem ser inclinadas, desde que a rolha fique encoberta pelo vinho.
  • Molhada, a rolha incha e veda bem a garrafa. Se a garrafa ficar na vertical, a rolha encolhe, diminui de tamanho e permite a entrada de ar, o grande inimigo do vinho.
  •     *  Temperatura: a temperatura ideal ou aproximada é de 14º ou 18º. A variação constante da temperatura pode ocasionar a oxidação.
  • A alta temperatura envelhece o vinho precocemente e favorece a proliferação de microorganismos.
  •     *  Ambiente Sombrio: com pouca luminosidade; a luz favorece a oxidação, o envelhecimento precoce e a degradação do vinho.
  •     *  Em ambiente arejado: procurar deixar os vinhos em ambientes arejados.
  • Lugares muito fechados sem circulação de ar se prestam para a formação de mofos e bolores e atacam o rótulo, a rolha e o vinho.
  • ·         Ambiente livre de cheiros: não deixar produtos que exalem cheiro forte próximo ao vinho, como solventes, tintas e colas.
  • Os cheiros penetram na rolha, que respira e pode contaminar o vinho.
  •  
  • No Restaurante
  • * Quando a garrafa é mostrada
  • Checar no rótulo se é aquele vinho que foi pedido, não esquecendo de certificar-se da safra também.
  • *Quando a rolha é colocada na mesa
  • Verificar o estado da rolha, principalmente se ela não está rachada, mas só vale se for em toda a extensão, ou seja, de cima a baixo, pois dessa maneira, teria entrado ar no vinho, oxidando-o.
  • *Quando o vinho é servido, só um pouquinho na taça
  • Espera-se que verifiquemos se o vinho está bom ou não. Caso ele esteja ruim, será trocado. Mas atenção, só vale para quando não está bom e não por não ser de nosso agrado.
  • Primeiro erguemos a taça contra a luz para verificar se há algum corpo estranho, sem ser borra (indica guarda), sem ser cristais e CO2 (resultantes de vinificação).
  • Depois, sem agitar a taça, fazendo uso do olfato, procuramos um cheiro ruim, que pode ser mofado, avinagrado ou oxidado ( sem ser o Jerez, pois é uma de suas características) .
  • É importante não dar aquele giro do vinho na taça, pois os aromas poderiam se confundir com os ruins, dificultando a percepção.
  • O vinho com aroma ruim tende a aumentar.
  • Caso tenha dúvida, espere alguns minutos e veja se ficou mais nítido, mas sempre podemos nos certificar colocando-o na boca e provando-o. se estiver bom, faça o sinal ou fale ...Pode servir.
  • *O correto é encher 1/3 da taça para vinhos e 2/3 para espumantes.
  • *Segure a taça sempre pela haste ou base. Nunca pelo corpo, pois estaria alterando  a temperatura do vinho.
  • *Como degustar
  • Relaxe. Descubra o seu gosto pessoal nesse universo complexo de aromas, sabores e  sensações. Aproveite!!
Logo
Facebook Twitter Google Plus Pinterest Email

Adicionar ao meu livro de receitas

Comentários
Facebook
Pinterest
Twitter
Google Plus
Receba receitas por e-mail

Receba gratuitamente nossos últimos destaques

© 2007-2018 Comida e Receitas | A empresa Anuncie Contato Política de Privacidade e Termos de Uso