Receitas > Dicas > Cuidado com a garrafa de vinho

Cuidado com a garrafa de vinho


Avaliação: / Cuidado com a garrafa de vinho2 votos
PiorMelhor 
Por Maria Clara
  • Posição: deitadas ou de cabeça para baixo
  • Disposição: brancos e jovens abaixo; de guarda acima
  • Manutenção: rótulo, cápsula e rolha
  • Identificação: ficha de linhas (letras) e colunas (números)
  • Registro: ficha com nome, origem, safra, características degustativas (visuais, olfatórias e gustativas), data, local de compra e preço, local de degustação e companhia(s)
  • O tempo máximo de guarda de um vinho não deve ser o tempo máximo que ele suporta antes de se deteriorar (tempo de vida), mas sim o tempo em que ele ainda está na plenitude de suas características, de sua tipicidade. O ideal é tomá-lo no seu apogeu
  • Os tempos aqui mencionados são valores médios aproximados e podem variar dependendo das condições climáticas e do solo da safra, bem como das condições de guarda do vinho.
  • ATÉ 1 ANO:
  • Beaujolais nouveau ou primeur
  • (A rigor, esse vinho mantem a sua tipicidade, plena aroma e sabor frutados,até cerca de 6 mêses)
  • ATÉ 2 ANOS:
  • A maioria dos brancos e alguns tintos brasileiros
  • Beaujolais genéricos e vinhos verdes portugueses
  • ATÉ 3 ANOS:
  • Alguns tintos e brancos europeus (valpolicella, chianti comum, frascati, lambrusco, etc.)
  • A maioria dos tintos e alguns brancos brasileiros
  • Champanhas brasileiros
  • Rosados
  • ATÉ 4 ANOS:
  • A maioria dos brancos europeus
  • Os melhores tintos brasileiros
  • ATÉ 7 ANOS:
  • A maioria dos bons tintos europeus
  • Alguns dos melhores tintos brasileiros
  • Champagnes não datados
  • ATÉ 10 ANOS:
  • Champagnes millesimés (datados)
  • Alguns grandes brancos europeus (Auslese, Bourgogne, Alsace, Rioja, etc.)
  • ATÉ 15 ANOS:
  • Alguns grandes tintos europeus (Bordeaux, Bourgogne, Rioja e Douro, etc.)
  • ATÉ 25 ANOS:
  • Alguns grandes europeus tintos (Bordeaux, Bourgogne, Barolo, etc.) e brancos (Sauterne, Beerenauslese, Trockenbeerenaus lese, Tokay, etc.)
  • ATÉ 50 ANOS OU MAIS:
  • Vinhos fortificados (Porto, principalmente os "vintage", Madeira, Jerez, etc.) e as safras excepcionais dos grandes tintos e brancos europeus
  • Tão importante quanto escolher um bom vinho, é conservá-lo de forma adequada, a fim de que não se arruíne, ou envelheça precocemente.
  • Por isso devemos levar em consideração alguns pontos que são de fundamental importância para a correta conservação:
  •     *  Garrafas permanentemente deitadas: podem ser inclinadas, desde que a rolha fique encoberta pelo vinho.
  • Molhada, a rolha incha e veda bem a garrafa. Se a garrafa ficar na vertical, a rolha encolhe, diminui de tamanho e permite a entrada de ar, o grande inimigo do vinho.
  •     *  Temperatura: a temperatura ideal ou aproximada é de 14º ou 18º. A variação constante da temperatura pode ocasionar a oxidação.
  • A alta temperatura envelhece o vinho precocemente e favorece a proliferação de microorganismos.
  •     *  Ambiente Sombrio: com pouca luminosidade; a luz favorece a oxidação, o envelhecimento precoce e a degradação do vinho.
  •     *  Em ambiente arejado: procurar deixar os vinhos em ambientes arejados.
  • Lugares muito fechados sem circulação de ar se prestam para a formação de mofos e bolores e atacam o rótulo, a rolha e o vinho.
  • ·         Ambiente livre de cheiros: não deixar produtos que exalem cheiro forte próximo ao vinho, como solventes, tintas e colas.
  • Os cheiros penetram na rolha, que respira e pode contaminar o vinho.
  •  
  • No Restaurante
  • * Quando a garrafa é mostrada
  • Checar no rótulo se é aquele vinho que foi pedido, não esquecendo de certificar-se da safra também.
  • *Quando a rolha é colocada na mesa
  • Verificar o estado da rolha, principalmente se ela não está rachada, mas só vale se for em toda a extensão, ou seja, de cima a baixo, pois dessa maneira, teria entrado ar no vinho, oxidando-o.
  • *Quando o vinho é servido, só um pouquinho na taça
  • Espera-se que verifiquemos se o vinho está bom ou não. Caso ele esteja ruim, será trocado. Mas atenção, só vale para quando não está bom e não por não ser de nosso agrado.
  • Primeiro erguemos a taça contra a luz para verificar se há algum corpo estranho, sem ser borra (indica guarda), sem ser cristais e CO2 (resultantes de vinificação).
  • Depois, sem agitar a taça, fazendo uso do olfato, procuramos um cheiro ruim, que pode ser mofado, avinagrado ou oxidado ( sem ser o Jerez, pois é uma de suas características) .
  • É importante não dar aquele giro do vinho na taça, pois os aromas poderiam se confundir com os ruins, dificultando a percepção.
  • O vinho com aroma ruim tende a aumentar.
  • Caso tenha dúvida, espere alguns minutos e veja se ficou mais nítido, mas sempre podemos nos certificar colocando-o na boca e provando-o. se estiver bom, faça o sinal ou fale ...Pode servir.
  • *O correto é encher 1/3 da taça para vinhos e 2/3 para espumantes.
  • *Segure a taça sempre pela haste ou base. Nunca pelo corpo, pois estaria alterando  a temperatura do vinho.
  • *Como degustar
  • Relaxe. Descubra o seu gosto pessoal nesse universo complexo de aromas, sabores e  sensações. Aproveite!!
Logo
Facebook Twitter Google Plus Pinterest Email

Adicionar ao meu livro de receitas

Comentários

Receitas de natal
Facebook
Pinterest
Twitter
Google Plus
Receba receitas por email

Digite seu email no campo abaixo e receba gratuitamente nossas últimas receitas:

© 2007-2018 Comida e Receitas | A empresa Anuncie Contato Política de Privacidade e Termos de Uso